• Prefeitura de Feijó

Prefeito participa do workhshop de Igacre para avançar o registro de origem do açaí do Acre

O prefeito Kiefer Cavalcante participa nesta quinta-feira, 19, na capital do Estado no auditório do Sebrae do Workshop: Indicações Geográficas do Acre (Igacre), com o objetivo de obter o registro de origem do açaí de Feijó e fortaleer a cadeia do produtivo no município no Estado e no Brasil. Acompanham o prefeito o secretário de agronegócio Chico Severiano e o deputado estadual Marcus Cavalcante.



O workshop tem o objetivo de fortalecer o protagonismo dos atores e da cadeia produtiva de alimentos regionais e com o potencial de registro de origem, como é o caso do açaí de Feijó e da farinha de mandioca de Cruzeiro do Sul. A programação do evento é composta por diversas palestras de especialistas que abordarão temas como importância, proteção, rastreabilidade e efetividade da indicação geográfica.


O evento é uma parceria entre a Embrapa Acre, Sebrae Acre e conta com apoio de instituições ligadas à agropecuária e agroindústrias do estado.


A farinha de Cruzeiro do Sul foi o primeiro produto derivado da mandioca a obter a Indicação Geográfica no Brasil, em 2017. Concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), o reconhecimento permitiu delimitar uma área geográfica, restringindo o uso de seu nome aos produtores e prestadores de serviços da Regional do Juruá. O registro com concessão do selo contempla produtores rurais de cinco municípios: Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Valter, Rodrigues Alves e Cruzeiro do Sul. Estima-se que 5 mil famílias estão diretamente envolvidas na fabricação artesanal da farinha de mandioca na região, principal centro distribuidor do produto no Acre.


Segundo a analista de projetos do Sebrae Acre, Murielly Nóbrega, a intenção é reunir produtores rurais, gestores e técnicos para conhecerem e debaterem o processo de reestruturação da Indicação Geográfica Cruzeiro do Sul e as ações de organização para a concessão da Indicação Geográfica Feijó para o açaí. “O evento é mais uma ação que busca consolidar e valorizar os produtos da sociobiodiversidade do nosso estado”, destaca.


O processo de reconhecimento da Indicação Geográfica Cruzeiro do Sul durou 10 anos e contou com a parceria de diversas instituições. Desde então, várias estratégias foram planejadas e estão sendo colocadas em prática para que o produto mantenha sua qualidade e acessar novos mercados. As ações compreendem pesquisas, capacitações em Boas Práticas de Fabricação e apoio na gestão, sistema de controle e proteção da Indicação Geográfica para a farinha de mandioca. “É importante construirmos fóruns de debate com foco nos produtos tradicionais da nossa região para fortalecer o agronegócio acreano. A exemplo da farinha, temos diversos outros produtos do Estado que podem ter esse mesmo destaque e valorização dentro de um território. Com isso, podemos contribuir com o desenvolvimento regional associado a conhecimentos tradicionais”, explica Virgínia Álvares, pesquisadora da Embrapa Acre.


O workshop também será transmitido ao vivo no canal da Embrapa no Youtube: https://youtu.be/LuvMaz2Wxac.


A programação do evento contará com diversas palestras de especialistas que abordarão temas como importância, proteção, rastreabilidade e efetividade da Indicação Geográfica. Ao final do dia, acontece a 1ª Mostra de Produtos com Indicação Geográfica da Região Norte. O público participante poderá conhecer e degustar pratos típicos com farinha de mandioca e açaí produzidos por chefs convidados.


Após o painel painel 1: A importância, proteção e efetividade da indicação geográfica e painel 2: Efetividade e rastreabilidade de IGs na Amazônia, o prefeito Kiefer Cavalcante destacou que Feijó além do açaí, também vem investindo no café clonal e outros produtos e hortaliças, que em breve dispontaram como uma boa surpresa para todo o Estado e o Brasil. "Estamos investindo forte na produção familiar, na agricultura e no agronegócios em Feijó, em breve, teremos retorno e contribuiremos na geração de emprego e renda" pontou.



O Workshop tem como objetivos:

  • Apresentar o processo de reestruturação da IG Cruzeiro do Sul para a farinha de mandioca e as ações de estruturação da IG Feijó para o produto açaí;

  • Construir fóruns de debate com representantes das cadeias produtivas para proteção e monitoramento das IGs para a farinha de mandioca e o açaí;

  • Fortalecer o protagonismo dos atores responsáveis pelos produtos regionais com o selo da IG e com potencial de registro;

  • Discutir alternativas para o desenvolvimento e preservação do patrimônio cultural vinculado à produção e prestação de serviços com referência de origem.

Público

  • técnicos em pesquisa e transferência de tecnologia de instituições que atuam em projetos, programas e ações sobre serviços ecossistêmicos

  • produtores e comunidades rurais

  • estudantes, professores, pesquisadores, profissionais liberais, funcionários públicos, da iniciativa privada e do terceiro setor

  • público em geral.

0 comentário