• Prefeitura de Feijó

Prefeitura promove atividades culturais em comemoração ao dia do livro e do índio em Feijó

A prefeitura de Feijó através da Secretaria Municipal de Educação (Semed) em comemoração ao Dia do Índio e ao Dia Mundial do Livro, preparou uma programação especial para toda a comunidade escolar nesta semana. O evento aconteceu nas escolas: Escola Dr. Eiraldo Carneiro de França, Escola Infantil Toppo Gigio, Escola Infantil Casulo e Escola Infantil Francisca Moreira e contou com apresentações artísticas culturais, oficinas, fantasias e atividades lúdicas com uma programação voltada para as crianças e jovens, afim de promover e celebrar a passagem do dia do livro infantil e do Dia do Índio.



Durante as atividades, as escolas municipais apresentaram projetos com as datas comemorativas do mês de abril, sugerindo respeito e a valorização da cultura indígena e também a valorização da leitura.


A Escola Municipal Dr. Eiraldo Carneiro de França apresentou o Projeto "Minha Escola Lê". Teve sua abertura oficial realizada nesta segunda-feira, 18 de abril com o objetivo de despertar o interesse e o gosto pela leitura e escrita, estimulando o hábito da leitura diária das crianças da rede municipal de ensino. A equipe gestora organizou o evento apresentando a turma do Sítio do Pica Pau Amarelo, criação do escritor Monteiro Lobato.



O projeto de leitura intitulado “Minha Escola Lê” tem a pretensão de contribuir para a formação de alunos leitores críticos e participativos, capazes de interagirem em sua realidade na condição de cidadãos conscientes. A implementação desse projeto vem favorecer significativamente o processo ensino-aprendizagem, visto que propõe a colaboração para o estímulo da leitura e escrita e, consequentemente, melhorar o desempenho (rendimento) dos alunos em outras disciplinas, já que a leitura está inserida em todo o processo de ensino e no dia a dia dos educandos, ressaltou a coordenadora de ensino a professora Silvania Menezes.



A escola Infantil Casulo tem se empenhado a proporcionar momentos de interação, diversão e aprendizado a nossas crianças. Em seu plano de ação prioriza as datas comemorativas como o dia do Índio, onde em sala de aula o professor pode explicar o significado da data, mostrar através de imagens a cultura indígena levando para além da sala de aula, com apresentações de músicas da cultura, desfiles e contação de histórias. As crianças participaram ativamente das apresentações e tiveram a oportunidade de aprender e interagir com os outros.



A Diretora Jossely, informou que esses temas serão todos trabalhos na escola, além do Dia do livro infantil, também foi comemorado o Dia do Índio. A Escola Infantil Francisca Moreira também trabalhou a temática do Dia do Livro narrando a história do Cachinhos Dourado.


A Escola Infantil Toppo Gigio tem como objetivo incentivar a leitura, e permitir que as crianças cresçam em silêncio na viagem da imaginação, com momentos prazerosos, que levará às crianças a tomarem gosto e tornar a leitura um hábito diário.


Para a secretária de Educação, Vinete Leitão “é muito gratificante poder acompanhar essas atividades, sabendo que a rotina educacional está de volta com toda a sua beleza, criatividade e interação necessária para celebrar essas datas comemorativas”, disse.

Refletir a diferença e reconhecer o grande valor que tem para família, para escola e para toda comunidade. Todos merecem respeito às suas manifestações culturais e da tão merecida liberdade a que todos têm direito, como qualquer um de nós.



Um pouco da história do Índio


A data comemorativa, 19 de abril, foi criada em 1943 pelo presidente Getúlio Vargas, por meio do decreto lei número 5.540. Em 1940, foi realizado no México, o Primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Além de contar com a participação de diversas autoridades governamentais dos países da América, vários líderes indígenas do continente foram convidados para participar das reuniões e decisões.


Porém, eles não compareceram nos primeiros dias do evento, pois estavam preocupados e temerosos. A postura era compreensível, pois há séculos estavam sendo perseguidos, agredidos e dizimados pelos “homens brancos”. No entanto, após algumas reuniões e reflexões, representantes indígenas resolveram participar, após entenderem a importância daqueles encontros. Essa participação ocorreu no dia 19 de abril, que depois foi escolhido, no continente americano, como o Dia do Índio.


Um pouco da história sobre o Dia do Livro Infantil


No dia 18 de abril é comemorado, no território brasileiro, o Dia Nacional do Livro Infantil, data em que se exalta a importância da leitura literária pelas crianças, porta de entrada para a formação de leitores. Busca-se, portanto, a nível nacional, chamar a atenção de escolas, faculdades, bibliotecas e outros espaços, para que promovam ações de incentivo à leitura.


Comemora-se, ainda, nessa referida data, o nascimento de Monteiro Lobato, o primeiro escritor brasileiro a dedicar-se à escrita de obras para o público infantil juvenil em um contexto (início da primeira metade do século XX) em que não se escrevia para os menores, os quais (que podiam ter acesso) ficavam restritos aos clássicos infantis europeus.


Essa data foi instituída em 8 de janeiro de 2002, e, desde então, é um dia para celebrar toda literatura voltada às crianças, e, por consequência, também é uma data para homenagear um importante escritor desse gênero, autor de clássicos que marcaram e ainda marcam gerações, como os volumes que constituem a coleção de narrativas ambientadas no Sítio do Pica-pau Amarelo. Nesse espaço mágico, Monteiro Lobato deu vida a personagens incríveis e inesquecíveis, como a boneca de pano Emília, Dona Benta, Tia Nastácia, Tio Barnabé, Narizinho, Pedrinho, Visconde de Sabugosa, Rabicó.


Galeria de Fotos



0 comentário